quinta-feira, agosto 28, 2014

Pai é inocentado por matar assassino dos filhos

Pai é inocentado por matar assassino dos filhos (Foto: Reprodução/Facebook)

Um pai, acusado de assassinar o motorista alcoolizado que atropelou e matou dois de seus filhos foi inocentado, em julgamento realizado no estado do Texas, nos Estados Unidos.
Segundo a acusação, David Barajas, de 32 anos, estava com a família empurrando o seu caminhão quebrado pelo acostamento de uma estrada quando um motorista alcoolizado perdeu o controle do veículo e atropelou dois filhos do réu, que morreram na hora.
O pai das vítimas teria ido à casa do motorista, pegado uma arma e o assassinou.
Segundo o júri do caso, não havia provas suficientes para condenar David, pois não havia testemunhas do incidente e a arma nunca foi encontrada - apesar de que munição e o coldre correspondentes à arma do crime foram vistos na casa dele.
O réu também recebia amplo apoio da comunidade de sua cidade e de municípios vizinhos, o que a defesa acredita que possa ter ajudado na decisão.
(Com informações do portal Terra)

Polícia procura seis acusados de desmatamento foragidos no PA

Acusados tiveram prisão decretada pela Justiça Federal de Itaituba. Ibama diz que quadrilha foi responsáveis por desmatamento recorde.


Ezequiel Castanha tem R$ 30 milhões em multas por crime ambiental, segundo Ibama (Foto: Reprodução/ Globo Rural)
Ezequiel Castanha tem R$ 30 milhões em multas
por crime ambiental, segundo Ibama
(Foto: Reprodução/ Globo Rural)
A Polícia Federal do Pará faz buscas para localizar seis pessoas que teriam envolvimento com crimes ambientais na região sudeste do estado. Entre os suspeitos está o empresário Ezequiel Antônio Castanha, proprietário de um comércio em Novo Progresso. De acordo com o Ibama, ele tem multas que somam R$ 30 milhões e seria um dos articuladores do esquema criminoso que invadia e desmatava terras públicas em áreas de preservação. Castanha e os demais suspeitos tiveram mandado de prisão expedidos pela Justiça Federal de Itaituba, e são considerados foragidos. Em entrevista ao Globo Rural em junho de 2014, o empresário disse que o desmatamento aconteceria "naturalmente".

Os crimes foram investigados pela Ministério Público Federal (MPF), Polícia Federal (PF), Receita Federal e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) durante a operação Castanheira, realizada na última quarta-feira (27) nos estados do Pará, Mato Grosso, Paraná e São Paulo. Oito pessoas foram presas, sendo seis no Pará, uma em Mato Grosso e uma em São Paulo. Além das prisões, foram cumpridos 22 mandados de busca e apreensão e quatro conduções coercitivas
Os seis suspeitos presos no Pará foram levados para Belém, onde aguardam o término das investigações. De acordo com a Polícia Federal, uma mulher está custodiada no Centro de Recuperação Feminino, quatro suspeitos foram levados para o Centro de Recuperação do Coqueiro e o último dos detentos está preso no corpo de bombeiros - ele foi beneficiado com prisão especial por ser advogado. Os suspeitos presos no Mato Grosso e em São Paulo estão custodiados nos respectivos estados. 
Entenda o caso
Segundo o MPF, a quadrilha invadia áreas públicas protegidas, como a Floresta Nacional Jiamanxim, faziam queimadas para a formação de pastos. Posteriormente, a área era loteada e revendida a produtores e agropecuaristas (veja vídeo ao lado). Perícias apontam que dano ambiental no município ultrapassa R$ 500 milhões. Caso sejam condenados, os acusados podem cumprir penas de até 56 anos de prisão por crimes ambientais, falsidade ideológica, furto e falsificação de documentos.

De acordo com o diretor do setor de Proteção Ambiental do Ibama, Luciano de Meneses Evaristo, a quadrilha teria sido responsável pelo maior desmatamento da Amazônia de todos os tempos.
Fonte: G1 PA

SEMMAP multa Rodonave em 200 mil

A secretaria municipal do meio ambiente multou a Rodonave navegações em R$ 200, 000,00. A multa foi aplicada pela falta de licença de operação (LO) da empresa, que opera na realização de transportes entre Itaituba e Miritituba

 A Rodonave navegações opera ha anos realizando a travessia de veículos leves e pesados entre Itaituba e Miritituba. A empresa opera através de concessão do município autorizada pelo poder legislativo, mas tem sido criticada pelos serviços prestados ao cliente e também pelas autoridades municipais. Depois de barrar veículos oficiais da prefeitura, a Rodonave sofreu uma fiscalização, momento em que foram constatadas irregularidades que levaram a SEMMAP  a aplicar multa no valor de 200 mil.

 Entre as irregularidades encontradas pelos fiscais da SEMMA estão a falta de banheiros e lixeiras apropriadas, entretanto a maior justificativa para a pesada multa esta na falta de licença de operação da Rodonave que de acordo com os fiscais esta vencida desde o ano de 2008.

 Segundo informações do secretário Valfredo Junior, caso a empresa  não se adeque as normas exigidas pelo município, poderá sofrer outras penalidades e se não pagar a multa pode entrar na lista da divida ativa municipal. De acordo com o secretario de meio ambiente estas medidas visam assegurar a legalidades das operações e o bom atendimento ao cliente.

Fonte: blog Garimpando Notícias

Audiência Pública na Câmara de Itaituba discutiu problemas do transporte fluvial entre Itaituba e Santarém. Foco principal foi a questão das lanchas

Na manhã de hoje, foi realizada no Plenário da Câmara Municipal de Itaituba, que estava lotado, uma audiência pública para discutir as permissões para as linhas das lanchas no trecho Santarém-Itaituba-Santarém. A audiência foi provocada pelos vereadores Luiz Sadeck – o Peninha, Isaac Dias e Iamax Prado e contou com a presença do promotor de justiça de Itaituba, João Batista de Araújo Macedo Cavalheiro Junior; Procurador do Município, José Ricardo Moraes da Silva; Deputado Estadual Antônio Rocha; Presidente da Câmara de Vereadores de Santarém, Henderson Pinto; Presidente da Câmara de Vereadores de Aveiro, Raimundo Ronilson Ferreira de Souza; Representante do CDL de Santarém, Gentil Gonçalves; do CDL de Itaituba, Davi Menezes; proprietários das lanchas, Erlon Rocha e Hilário Coimbra, além de vereadores de Aveiro e de Itaituba e populares da cidade de Itaituba e de comunidades localizadas nas margens do Rio Tapajós, por onde passa a linha das lanchas no trecho Santarém-Itaituba.
Gentil Gonçalves CDL Santarém

A reunião foi presidida pelo vereador Luiz Sadeck, o Peninha, que falou sobre o objetivo da audiência, enfatizando que dali seria aprovado um documento que será entregue as autoridades e principalmente a ARCON, no sentido de rever as permissões provisórias das lanchas que fazem esta linha. Peninha criticou a  falta de respeito com a população da região que usa este transporte fluvial, alegando que a população tem o direito de escolher o que é melhor, mas seguro, com mais conforto e não simplesmente por ter uma permissão vamos ter que engolir uma lancha sem as mínimas condições de atender nossas necessidades. Não estamos aqui para defender empresário A ou B e sim defender o melhor para nossa população, concluiu o edil. 
Promotor de Justiça João Batista de Araujo
Acreditamos que a ARCON sensibilizada possa rever estas permissões provisórias até que seja realizada a licitação desta e de outras linhas na região. Lembrou que as lanchas que estão hoje fazendo esta linha, não atendem a demanda. Citou como exemplo, naquele momento em que se realizava a audiência, a saída da lancha Moreira da Silva, que deixou de embarcar mais de 30 passageiros por causa de sua capacidade. Estamos na contramão do tempo. Isto prejudica as pessoas, prosseguiu Peninha. No final de sua fala, Peninha entregou ao Promotor um abaixo assinado dos moradores desta região pedindo a volta da Lancha Ana Karollyne.
Os vereadores Isaac Dias e Iamax Prado, autores também da convocação da audiência, se manifestaram se mostrando preocupados com a retirada da lancha Anna Karollyne e em nome das populações que usam este transporte pediram providencias do Ministério Público e da ARCON.
Henderson Pinto (Vereador de Santarém)
O promotor de Justiça, João Batista, falou sobre a audiência que na semana passada foi realizada pelo MP em Santarém, sob o comando da promotora Maria Raimunda Noronha e que ficou decidido que dentro de 60 dias a ARCON lançara o edital da licitação desta linha Santarém-Itaituba. O MP está de portas abertas para atender as reivindicações da população e nós estamos trabalhando algum tempo nesta questão dos transportes fluvial e rodoviário da região, disse o promotor.
Dep Estadual Antonio Rocha
Vários foram os pronunciamentos, inclusive os proprietários das lanchas também se manifestaram. Os manifestantes reclamaram da retirada da lancha Anna Karollyne.
Erlon Rocha (Empresario)

No final da audiência, ficou acertado que será encaminhado copia da ata da reunião ao MP e a ARCON pedindo providencias no sentido que sejam concedidas permissões provisórias para as três empresas que fazem esta linha Santarém-Itaituba até a realização da licitação. Na segunda feira, está marcada uma reunião em Santarém, entre a ARCON e os representantes das três empresas de lanchas para tratar exatamente deste assunto.

Hilário Coimbra (Empresario)

Fonte: blog do Peninha

Suspeitos de crimes ambientais em Novo Progresso são presos e levados para Belém

Foto: Igor Mota (O Liberal)
Foto: Igor Mota (O Liberal)

Seis pessoas suspeitas de integrar uma quadrilha que praticava crimes ambientais em Novo Progresso, no sudoeste do Pará, foram presas e levadas para Belém no fim da tarde desta quarta-feira (27). Os cinco homens e uma mulher foram transportados em um avião da Força Aérea e saíram do Aeroporto Internacional Val-de-Cans, na capital, algemados. Segundo o Ibama, o grupo seria formado por empresários da região, e teria sido responsável pelo maior desmatamento da floresta Amazônica em toda história.

Os suspeitos foram presos durante a Operação Castanheira, que cumpriu 11 mandados de prisão preventiva nesta quarta-feira (27). Outros 22 mandados de busca e apreensão, três prisões temporárias e quatro conduções coercitivas devem ser executados. Outras diligências foram realizadas nas cidades de São Paulo, Paraná e Mato Grosso, onde outros dois suspeitos foram detidos. A operação é realizada pela Polícia Federal, Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama), Receita Federal e Ministério Público Federal.

Desmatamento recorde
Segundo o procurador da república, Daniel Azeredo, “a sofisticação da quadrilha a torna a maior dos últimos anos especializada em desmatamento da Amazônia. É um crime ambiental que envolveu lavagem de muito dinheiro, corrupção e falsificação de documentos. Acredito que este é o primeiro caso de crime ambiental em que a investigação focou também no aspecto financeiro dos envolvidos”.

O diretor do setor de Proteção Ambiental do Ibama, Luciano de Meneses Evaristo, também atribui à quadrilha o título. “Foi o grupo que mais desmatou a Amazônia em todos os tempos”.

Esquema criminoso
Segundo o MPF, a quadrilha invadia áreas públicas protegidas, como a Floresta Nacional Jiamanxim, faziam queimadas para a formação de pastos. Posteriormente, a área era loteada e revendida a produtores e agropecuaristas. Perícias apontam que dano ambiental no município ultrapassa R$ 500 milhões.
O delegado da Polícia Federal no Pará, Raimundo Benassuly, detalha como os crimes ocorriam. “Essa investigação começou há um ano, em parceria com o Ibama, que está em Novo Progresso desde 2008. Fizemos uma interceptação telefônica que revelou como o bando agia. Um crime organizado com alta lucratividade. Foram identificadas 11 áreas desmatadas, que eram revestidas para especulação imobiliária, ou seja grilagem de terra.

Eles queimavam a área, plantavam capim, e preparavam para a plantação de soja. Daí vendiam para empresários, sobretudo, do sul e do sudeste do país. Fizemos a quebra do sigilo bancário que revelou altas quantias, terras que eram vendidos a R$ 10 milhões. Agora eles serão ouvidos aqui em Belém. Dentre os presos, tem grandes empresários de Novo Progresso, um advogado que sabia que ele estava trabalhando com documento falsificado e lavagem de dinheiro”, concluiu Benassuly.

Os envolvidos deverão ser indiciados pelos crimes de invasão de terras públicas, furto, sonegação fiscal, crimes ambientais, falsificação de documentos, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. As penas dos acusados podem ultrapassar 50 anos de reclusão.
Fonte: 

quarta-feira, agosto 27, 2014

Dilma veta pela segunda vez novas regras para criação de municípios

Essa, nem os aliados da presidente entenderam. Texto havia sido negociado com o Planalto para que vetos fossem evitados. Fazenda justificou que medida poderia ‘desequilibrar’ recursos estaduais.

Feilipe Matoso e Priscilla Mendes
Do G1, em Brasília

A presidente Dilma Rousseff vetou integralmente o projeto de lei aprovado no início do mêspelo Senado que definia critérios para criação, emancipação e fusão de municípios. A decisão foi publicada na edição desta quarta-feira (27) do “Diário Oficial da União”.
A proposta havia sido elaborada após Dilma vetar integralmente, no ano passado, uma proposta semelhante, sob o argumento de que aumentaria as despesas públicas. Diante da ameaça de derrubada do veto pelo Congresso Nacional, a base aliada no Senado elaborou um novo texto, em acordo com o governo federal, tornando mais rigorosos os critérios para a emancipação de municípios.
Na justificativa do veto, dirigida ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), a chefe do Executivo federal afirmou ter consultado o Ministério da Fazenda sobre os possíveis efeitos da nova legislação. De acordo com Dilma, a pasta apontou que, embora negociado entre o governo e os parlamentares, o texto aprovado pelos congressistas geraria despesas para custear a criação dos novos municípios, mas não condicionava as emancipações ao aumento de receitas.
“Ouvido, o Ministério da Fazenda manifestou-se pelo veto ao projeto de lei complementar pelas seguintes razões: Embora se reconheça o esforço de construção de um texto mais criterioso, a proposta não afasta o problema da responsabilidade fiscal na federação. Depreende-se que haverá aumento de despesas com as novas estruturas municipais sem que haja a correspondente geração de novas receitas”, informou a presidente.
Com a decisão, o veto da presidente deverá ser analisado pelo Congresso em sessão conjunta da Câmara e do Senado. Os parlamentares poderão manter o veto ou derrubá-lo.
“A presidente pode ter tido as suas razões para vetar, mas ainda não tenho conhecimento das razões, porque, de fato, foi uma construção conjunta entre governo e Parlamento. É muito difícil que esse veto seja mantido. Já foi difícil manter no projeto anterior”, declarou ao G1.

Relator do projeto na Câmara, o deputado Moreira Mendes (PSD-RO) classificou o veto como "deboche com o Congresso Nacional" e disse que trabalhará para derrubá-lo durante votação. "Isso é uma coisa escandalosa, um deboche, pouco caso com Congresso duas vezes. O que foi feito foi acertado com os líderes do governo.  O Senado e a Câmara aprovam e depois ela veta. Da minha parte, gera crise, sim", disse o parlamentar.
O senador José Agripino (DEM-RN), líder do DEM no Senado, disse que o Congresso vai “apreciar o veto oportunamente”.
Desde fevereiro está na pauta do Congresso o veto ao primeiro projeto que dizia respeito à criação de municípios, que também havia sido cortado integralmente pela presidente. As lideranças do governo, porém, vinham segurando a votação para dar tempo de um novo texto ser elaborado, a fim de evitar que os parlamentares derrubassem o veto.

Novo projeto
O texto enviado pelo Congresso Nacional ao Palácio do Planalto no início do mês previa a exigência de 20 mil habitantes para a criação de municípios nas regiões Sul e Sudeste, 12 mil, no Nordeste, e 6 mil, no Centro-Oeste e Norte. A expectativa era de que fossem criados 200 novos municípios nos próximos cinco anos com as novas regras.
Conforme a redação do Legislativo, não haveria exigência de tamanho mínimo para a emancipação dos municípios. De acordo com a proposta, o primeiro passo para a criação de um município seria a apresentação, na Assembleia Legislativa, de um pedido assinado por 20% dos eleitores residentes na área geográfica diretamente afetada, no caso da criação ou desmembramento.
Após o pedido, a Assembleia teria que coordenar um "estudo de viabilidade" do novo município, que deveria comprovar, por exemplo, se na região havia condições de arrecadação suficientes para sustento próprio.
Além disso, um plebiscito deveria ser realizado e, se a maioria da população aprovasse a criação do município, a Assembleia elaboraria e votaria uma lei estabelecendo o nome e limites geográficos. A instalação do município se daria oficialmente com a posse do prefeito e vice-prefeito. (O Globo)

Vitória da CPI da Telefonia. Operadoras assinam Termo de Compromisso na Alepa

O deputado Nélio Aguiar (DEM) membro titular da CPI da Telefonia, disse que ficou satisfeito com os primeiros resultados dos trabalhos da Comissão, que culminaram com a  assinatura do Termo de Compromisso pelas Operadoras de Serviço de telefonia, durante reunião na Assembleia Legislativa do Estado (Alepa), nesta terça-feira, 26.

Junto com demais parlamentares e representantes do Procon, Defensoria Pública e Ministério Público, os representantes das operadoras de telefonia móvel se comprometeram a realizar imediatamente um mutirão regional (Santarém, Marabá, Itaituba, Altamira Bragança e ainda em toda região metropolitana de Belém) para sanar  os problemas mais emergenciais no serviço de telefonia, de acordo com as principais reclamações dos usuários relatadas durante as audiências públicas realizadas em Belém, Santarém, Itaituba, Bragança, entre outros municípios.

“Melhorar a qualidade do sinal será apenas a primeira etapa. Haverá também a distribuição do Código de Defesa do Consumidor nas regiões e em um segundo momento haverá a  formalização de uma parceria público privada, no qual o Estado deverá isentar as empresas de parte do ICMS para que as empresas possam investir em localidades onde não há interesse comercial para instalação de antenas, mas que tem considerável número de moradores que necessitam do serviço”, adiantou Nélio Aguiar.

As Operadoras de telefonia também apresentaram o plano de investimento no serviço para os próximos seis meses. O relatório final da CPI da Telefonia será apresentado na Alepa no próximo dia 16, juntamente com as cartilhas do Procon.


Kátia Aguiar – Jornalista – Assessora de Imprensa

Polícia Federal cumpre mandados de busca e apreensão em Novo Progresso

Gente graúda envolvida no caso. Há foragidos com mandado de prisão


Denominada Operação Castanheira, comandada pelo delegado da Polícia Federal, Bruno Benassuly, partiu da base aérea do Cachimbo, tendo chegado de madrugada em Novo Progresso com mais de oitenta policiais em camionetes para cumprir os mandados de busca e apreensão, sendo vinte e dois madados de busca e apreensão, onze mandados de prisões preventivas, três mandados de prisões temporárias e 4 conduções coercitivas.

Conforme publicação preliminar, várias residências e escritórios foram interceptadas pela madrugada. Advogados representando a OAB/PA foram chamados para participar da operação como testemunhas. As residências foram tomadas pela Polícias Federal, sendo elas as casa do proprietário do Supermercado Castanha, de nome Ezequiel, do proprietário do Hotel Miranda, empresário Geovanni, do proprietário do Supermercado Duvalle, empresário Ismael Martins, escritório de advocacia e outros. Segundo informações, os senhores Ezequiel Castanha e Ismael do supermercado Duvalle conseguiram fugir, mas, tem mandado de prisão e estão sendo considerados fugitivos.

O empresário Geovanni, do Hotel Miranda, conseguiu fugir de sua residência no momento da busca, tendo ido se esconder em uma igreja evangélica no bairro Bela Vista, onde foi localizado e preso pela Polícia Federal.

Na residência do proprietário do supermercado Duvalle foram encontradas armas. A esposa de Ismael foi presa e levada junto com o armamento e com documentos retirados do local.

As esposas dos envolvidos nos mandados foram presas e levadas para Belém para prestarem depoimento.

As informações tem como base a notícia veiculada pelo jornal Folha do Progresso, com edição da editoria do blog do Jota Parente.


Antes, o blog já havia veiculado a informação do Diário de Pernambuco, que trata da operação da Polícia Federal, a qual pode ser lida abaixo. 

Operação conjunta prende maiores desmatadores da atualidade na Amazônia

O grupo invadia áreas em Novo Progresso, no Pará, para lotear e vender para pastagens e ao agronegócio. De acordo com as investigações, o dano ambiental gerado pelas ações ultrapassa R$ 500 milhões

Uma operação conjunta da Polícia Federal, Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama), Receita Federal e Ministério Público Federal deflagrada na manhã desta quarta-feira resultou na prisão dos maiores desmatadores da Amazônia da atualidade.

No total, são 22 mandatos de busca e apreensão, 11 de prisão preventiva, três de prisão temporária e quatro conduções coercitivas. A quadrilha invadia terras públicas, dentre elas a Floresta Nacional do Jamanxim, desmatava e queimava para formar pastos. Mais tarde, a área era loteada e revendida.

De acordo com as investigações, o dano ambiental gerado pelas ações do grupo ultrapassa R$ 500 milhões. A maior parte das diligência estão ocorrendo principalmente em Novo Progresso, no Pará, mas também em cidades de São Paulo, Paraná e Mato Grosso. Os envolvidos devem ser indiciados, de acordo com informações do MPF, pelos crimes de invasão de terras públicas, furto, sonegação fiscal, crimes ambientais, falsificação de documentos, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. Somadas, as penas podem ultrapassar os 50 anos de reclusão aos condenados.

Com 96 policiais federais e 19 servidores do Ibama envolvidos, a operação recebeu o nome de Castanheira, em alusão à árvore típica da região de Novo Progresso. A espécie é protegida por lei e considerada um dos símbolos da Amazônia.

Fonte: Diário de Pernambuco

Homem em atitude suspeita foi detido na Gold Minas

Um homem de estatura baixa, aparentando ter pouco mais de 30 anos, foi detido em frente a compra de ouro Gold Minas, que foi assaltada há poucos dias.

Os funcionários observaram que o suspeito estava em atitude que levantava dúvidas a respeito de suas intenções. Ele olhava muito para as câmeras da compra de ouro, o que reforçou a preocupação.

Ele foi seguro por pessoas que se encontravam no local, incluindo funcionários da loja, os quais chamaram Política Militar, que chegou poucos minutos depois, conduzindo o homem até a 19ª Seccional de Polícia Civil, onde estão sendo feitas as devidas averiguações para saber se de fato se trata de um assaltante, ou não.

A direção a Gold Minas e os funcionários ainda estão tentando se recuperar do susto, e no caso dos donos, do prejuízo do assalto passado.

Fotos: Anderson Pantoja (Zap)
.

Hospital Regional só em dez anos

Ontem o vereador Manoel Diniz disse que um conhecido engenheiro de Itaituba lhe perguntou se acreditava que a obra ficaria pronto no prazo estabelecido.

Diniz disse que deve demorar um pouco mais, uns quatro ou cinco anos, em vez dos 540 dias como diz a placa.

O engenheiro lhe garantiu que o Hospotal Regional não vai ficar pronto em menos de dez anos. O de Santarém demorou oito anos e meio para focar pronto.

Isaac x Peninha. Jogo bruto

O vereador Peninha criticou o governo da prefeita Eliene Nunes. Dentre os pontos atacados por Peninha, o índice de doze ppr cento de analfabetismo foi um dia pontos.

O vereador Isaac Dias, ao defender o governo, bsteu pesado em Peninha,  acusando o mesmo de ser um dos grandes responsáveis por essa situação, porque em anos passados nomeava e demitia diretores de acordo co. Conveniências políticas.

Quando João Paulo falava, Peninha lesiu aparte, quando deo o troco. Disse que sua vida é limpa,  enquanto Isaac não pode dizer a mesma coisa,  pois responde a algumas acusações sérias das quais tem que se defender.

Cinquenta e oito por cento dos veículos do estado so Pará estão irregulares. Em Itaituba são cinquenta e dois por centro, . Os dados são do próprio Detran. Mesmo assim o Detram arrecada mais de um milhão de reais por dia.

Pouso de emergência

O monomotor mo qual o vereador Wescley Tomaz viajava na tarde de ontem em campanha para deputado estadual fez um pouso de emergência próximo a placas.

A aeronave apresentou problemas no motor, o que fez com que o piloto tivesse que fazer esse pouso.

Ninguém se machucou.

terça-feira, agosto 26, 2014

Nicodemos pede providências sobre cabo de telefone quebrado

O vereador Nicodemos Aguiar pediu durante a parte de avisos e comunicados, última parte das sessões ordinárias, que a Câmara entre em contato com a OI para que a empresa resolva o problema de moradores do bairro da Floresta, o quais não tem como se comunicar com a prestadora de serviço de telefonia fixa.

O cabo de telefone que passa pela Décima Primeira Rua, esquina com a Transgalego, foi rompido por um caminhão baú, com placa da cidade de Alta Floresta, que passou pelo local ontem.

O vereador ressaltou o transtorno que isso está causando aos moradores e comerciantes do referido perímetro por falta do telefone fixo. Dezenas de pessoas estão com seus telefones mudos desde ontem.

Policiais militares que estavam presos, retornam para Itaituba

IMG_20140821_183313

Na tarde de ontem, vários policiais militares estiveram no aeroporto de Itaituba para recepcionar o retorno de Belém de colegas (sgt Soares, cabos Wilton e Pedro, soldados Melo e Portela) que estavam desde o dia 11 de junho presos por conta de terem sido acusados de envolvimento em evento de disparo de tiros contra as casas em que moram os comandantes do CPR-X e do 15º BPM. Pelo que se sabe não houve comprovação do envolvimento dos policiais e a justiça revogou a prisão preventiva. Na chegada dos militares muita emoção dos familiares e amigos. Depois da recepção calorosa houve uma carreata pelas ruas da cidade. 

Segundo os milicianos foram dois meses muito difíceis longe da família e amigos, e privados de sua liberdade. Disseram ainda que agora e reorganizar a vida, esperar o termino do processo e usar a experiência dura e injusta que tiveram para crescer na vida e aumentar ainda mais a consciência de que nunca deve deixar de reclamar seus direitos, mesmo com o risco de sofrer injusto.

familiares amigos


Fonte: blog do Norton Sussuarana

Deputado Nélio Aguiar defende instalação da CPI para investigar Belo Monte

O deputado Nélio Aguiar (DEM) defendeu junto ao presidente da Assembleia legislativa do Estado do Pará, deputado Márcio Miranda (DEM),a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar denúncias do não cumprimento das condicionantes pela Norte Energia na construção da Hidrelétrica de Belo Monte, no Oeste do Pará.

“O município de Altamira já sofre com os impactos da construção da Hidrelétrica, um caos social causado pela migração de mais de 60 mil pessoas para a região, aumento da violência, prostituição, tráfico de drogas, bairros sem água encanada, mortes no trânsito, hospitais e escolas incapazes de atender o aumento da demanda e etc. 

Existe um descompasso entre o andamento da obra e o atendimento das condicionantes para mitigar os impactos sociais. "As condicionantes sociais precisam ser implementadas rapidamente, pois é inaceitável que num projeto bilionário, o povo é que tenha que pagar o preço com seu sofrimento,” afirma deputado Nélio Aguiar.


Fonte: Assessoria parlamentar

Nélio Aguiar vota pela pavimentação da PA 370 que liga Santarém a Uruará

O deputado Nélio Aguiar (PMN),  luta pela aprovação do projeto de Lei 200/2013 que autoriza o empréstimo junto à Caixa Econômica Federal, no valor de R$ 814,3 milhões, para obras de infraestrutura no Estado, incluindo o serviço de pavimentação da PA-370, entre a hidrelétrica de Curuá-Una e a cidade de Uruará, na rodovia Transamazônica, um investimento de R$ 150 milhões.

“A PA-370 tem importância econômica e turística para o Estado, pois liga o polo Tapajós com o polo Xingu, portanto, é essencial ao clamor de integração do Oeste ao resto do Pará com nossa capital. A via é estratégica, inclusive como propulsor turístico na região, além de essencial para o desenvolvimento da economia local”, defendeu o parlamentar.

Nélio encaminhou moção e reiterou por duas vezes através de ofício, alertando o governo do estado a urgentíssima necessidade de construir a segunda etapa da rodovia ligando Santarém a Uruará. “É uma conquista muito importante para os moradores da Transamazônica e do tapajós, contribuindo com o desenvolvimento e integração regional” disse.  

Fonte: Assessoria Parlamentar

Moto do acidente que vitimou estudante da EETEPA ficou totalmente destruída

S10 com lateral avariada.

Moto BIZ pilotada pela jovem que morreu, que ficou completamente destruída.

Fotos: do whatsaap de Cassiele Rangel

Isaac pede que Câmara reveja contrato da Rodonave

O vereador Isaac Dias falou a respeito do contrato do município com a Rodonave, pelo qual o legislativo abriu mão de fiscalizar o transporte de carros e passageiros ma balsa entre Itaituba e Miritituba.

Pelo que foi aprovado, quem fiscaliza é um conselho Municipal que nunca foi criado. Então,  a Rodonave pode tudo por esse contrato.

O vereador também falou da má qualidade do serviço prestado.

Amanhã será apresentado um requerimento por ele, pedindo a revisão do contrato.

Diniz cobra recuperação do mamógrafo

O médico e vereador Manoel Diniz faloi sobre o mamógrafo do Hospital Municipal.

Ele disse que é inadmissível que esse equipamento esteja a tanto tempo quebrado. Pediu providências do governo do município.

Mais uma morte no trânsito

Uma jovem que estudava na EETEPA, morreu ontem à noite.

Ela pilotava uma moto BIZ, quanso foi atingida por uma S10 em alta velocidade.

O acidente aconteceu próximo da Feira Agropecuária.

APAE na Câmara

Diretora Oneide Neves, professores e alunos da APAE estão na Câmara.

A diretora Oneide Neves usou a tribuna para falar a respeito da Semana do Excepcional e das atividades da entidade.

Cabo quebrado

Um caminhão com placa de Alta Floresta, ontem de manhã, quando passava pela Transgalego com a Décima Primeira rua, no bairro Floresta, rompeu o cabo de telefone

Moradores e comerciantes reclamam porque estão sem telefone fizo.

Ninguém da Oi passou por lá até agora para fazer alguma coisa para recuperar o serviço.

segunda-feira, agosto 25, 2014

A lógica do candidato mudo

Por Muniz Sodré

Luis Castaneda Lossio é um dos vinte candidatos à prefeitura de Lima nas eleições de outubro próximo. Por aqui, é quase certo que ninguém o conheça, nem sequer dele tenha ouvido menção, considerando-se o proverbial alheamento da vida sul-americana por parte de brasileiros. Antes de mais nada, é oportuno informar que a capital peruana vem deixando transparecer em sua paisagem urbana (segurança nos bairros mais abastados, transformações arquitetônicas, limpeza das ruas etc.) aspectos da modernização neoliberal do país e do aumento de renda em setores privilegiados. Nesse momento, administrar a cidade pode ser tarefa mais prestigiosa do que em épocas passadas.
Castaneda, um populista de alinhamento conservador, já foi prefeito de Lima. Mas aquilo que agora o torna especial é a sua singular estratégia de campanha: a mudez. A se acreditar no que relata a grande imprensa – no curso de uma curta estada nossa em Lima –, Castaneda opta por não dizer coisa alguma nos contatos públicos com seus virtuais eleitores. De modo muito explícito: não apenas deixa de “dizer” alguma coisa, mas simplesmente nem fala.
A quem possa julgar absurda essa atitude, vale adiantar que o “candidato-mudo” (assim o batizou a imprensa) está à frente nas pesquisas de intenções de votos – 54% sobre seus adversários.
Não é um episódio inédito no Peru. Anos atrás, por ocasião da disputa presidencial entre Mario Vargas Llosa e Alberto Fujimori, as belas palavras públicas do grande escritor peruano contrastavam com o eloquente silêncio de Fujimori. Descendente de japoneses, olhos rasgados como os dos descendentes de incas, Fujimori não debatia, nem apresentava ideia nova, mas parecia escutar com atenção o que lhe diziam os componentes dos estratos mais pobres do país. Como se sabe, eleito presidente da República, ele pôs fim à guerrilha do Sendero Luminoso, ao mesmo tempo em que montava uma ditadura brutal e corrupta com a ajuda de um “Rasputin” peruano chamado Vladimiro Montesinos e cerca de uma dúzia de generais. Todos eles, o ex-presidente inclusive, cumprem longa pena na prisão militar de Callao, perto de Lima.
O fato, porém, é que a estratégia de Fujimori ainda ressoa. Há uma certa sabedoria das massas nessa escolha da mudez por parte de um candidato ao poder. Com efeito, não é a comunicação linguística de um político profissional que lhe granjeia votos, mas a comunicação como um fim em si mesma, sem compromisso semântico, que se traduz na prática como a possibilidade de não fazer sentido nenhum e ainda assim ser “compreendido”.
Informação real
A título de exercício comparativo, pode-se passar em revista os discursos dos atuais presidenciáveis no Brasil para logo se dar conta de que realmente se fala, mas nada se diz – nenhum projeto coerente, nenhuma pretensa verdade pública. Nem mesmo o velho poder hipócrita da virtude arrisca-se a desenterrar a cabeça da areia.
Onde quer que se manifestem, as intenções de voto obedecem a uma lógica em que o poder dos partidos (a “partidocracia”) substitui aos poucos o Estado. Por sua vez, girando burocraticamente ao redor de si próprios e atravessados pela ausência de credibilidade, os partidos já não têm mais capacidade de referenciação social, nem um mínimo de representatividade democrática. Nada do que se diga parece ter qualquer importância ou significado público. O partido é um estilhaço político, uma grife jurídica, um flatus vocissocial.
O que resta?
Em privado, as negociatas e as alianças de afogadilho. Em público, a comunicação autorreferente, composta de outdoors, santinhos, imagem televisiva, inserções em redes sociais e entrevistas. A vantagem presumida de um candidato sobre outro é avaliada pelo tempo de tevê. Já não é mais a imagem que vale mil palavras e sim o tempo de exposiçãoque vale mais do que a imagem. Nada do que se diga vale pelo dito, mas pela pura materialidade prolongada da presença.
Daí, o interesse do observador pelo fenômeno do candidato peruano que faz da mudez o seu marketing pessoal. Por mais pitoresco que possa parecer, o “candidato-mudo” revela na prática que o nada-dizer ou o nada-significar é a realidade última do jogo político.
No limite, a única informação real dada pelo candidato ao eleitor (além da óbvia indicação da camarilha partidária que o gerencia) é a sua própria cara. Só que, com o pano de fundo do vazio de sentido, a própria cara perde a sua amplitude diferencial. Semioticamente, todos têm a mesma cara, a exemplo de um mesmo produto com grifes e preços diferentes.
***
Muniz Sodré é jornalista, escritor e professor titular (aposentado) da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Procon pode chegar até fevereiro

Um empresário que manteve contato com um diretor do Procon, de Belém, informou ao blog, que o órgão de defesa do consumidor admite que poderá já estar atuando no município de Itaituba até março do ano que vem.

Esse assunto vem se arrastando desde o primeiro mandato do ex-prefeito Roselito Soares.

Desde o ano passado, funcionários do Procon, da capital do estado, tem visitado Itaituba, tendo feito diversas reuniões com os poderes constituídos do município e com entidades de classe.

Inicialmente muito rejeitado por muitos empresários, depois de dadas as devidas explicações, a resistência hoje já é muito menor. E já passou da hora do Procon passar a atuar neste município.

Vivo lidera ranking de denúncias no Procon em Santarém

Silvania Bezerra, diretora do Procon, diz que muitas denúncias foram apuradas e resolvidas

Jornal O Impacto
Uma estatística feita pelo Serviço de Proteção ao Consumidor (Procon) de Santarém aponta que a empresa de telefonia móvel Vivo lidera o topo do ranking de reclamações de usuários, na cidade. A pesquisa mostra que na lista das empresas de telefonia mais processadas, está a Vivo com 116 reclamações protocoladas.

Em segundo lugar está a Claro, com 50 reclamações. A empresa de telefonia fixa Oi está no terceiro lugar com 41 reclamações. Na área da telefonia móvel, fixa e internet, somam 207 reclamações. Muitas das denúncias fundamentadas contra essas empresas foram resolvidas a favor do consumidor.

“Só damos início a processos quando as denúncias são fundamentadas. E a gente percebe que as reclamações têm sido de toda ordem, primeiro a contratação de serviços que o consumidor não fez, contrato que o consumidor não consegue cancelar e cobranças abusivas. Sem falar, é claro, da má prestação do serviço de maneira geral”, explica a coordenadora do Procon Municipal, advogada Silvania Melo Bezerra.

As reclamações no Serviço de Proteção ao Consumidor (Procon) de Santarém são em sua maioria em relação ao serviço de telefonia móvel e fixa, incluindo a internet. Logo depois, nesse ranking vêm as reclamações do serviço de energia elétrica fornecido pela concessionária Celpa Equatorial, em seguida uma empresa de compra premiada, a Eletro Dez. As demais entre o maior número de reclamações estão a Caixa Econômica Federal, Sky do Brasil e a Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa).

No primeiro semestre, a central do Procon Municipal recebeu a soma de 764 reclamações. Dentre as quais foram resolvidos mais da metade, 480 processos. 28 não tinham fundamento e 210 estão em andamento.

Os casos envolvendo a Celpa Equatorial são em sua maioria resolvidos. No final do ano passado foi feito um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) com a Celpa Equatorial. As entidades Procon, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e Ministério Público Estadual (MPE) entraram com ações para que a empresa desse uma maior atenção aos prejuízos causados por conta das falhas no serviço. “A gente pode comparar o número de reclamações da telefonia com a prestação de energia elétrica, mas temos tido uma queda substancial no número de reclamações do consumidor”, diz Silvania Melo.
------------------------------------------
Comentário deste blog: Se houvesse Procon, em Itaituba, a disputa seria muito dura, entre Vivo e Celpa. Provavelmente a Vivo ganharia.

Barraco! Datena invade estúdio e xinga Milton Neves ao vivo: "Que me*** é essa?"

Barraco! Datena invade estúdio e xinga Milton Neves ao vivo: "Que me*** é essa?" - 1 (© Montagem - Divulgação Band)
SÃO PAULO - José Luiz Datena armou um verdadeiro barraco nos estúdios da rádio Bandeirantes, no último domingo (24), durante a transmissão do programa "Domingo Esportivo", de Milton Neves.
O apresentador invadiu o local onde o colega de empresa trabalhava e não economizou palavrões. "Que me*** é essa? Que me*** é essa que você falou?", disparou ao vivo, forçando a entrada de um intervalo comercial.

O 'climão' aconteceu após uma conversa de Neves com o apresentador e ex-jogador de futebol Neto, que contava uma história de José Hidalgo Neto, conhecido como Capitão Hidalgo (ex-atleta do Coritiba).

"Sabe quem morou na casa do Hidalgo em Curitiba, quando estava desempregado? José Luiz Datena. Filou boia lá e até hoje é grato. Porque tem muito ingrato/ingrata por aí que não olha para trás, mas o Datena agradece até hoje", comentou Milton Neves.

O jornalista continuou a história dizendo que também trabalhou em uma rádio no Paraná, mas que não teve a sorte de morar com alguém que lhe deu apoio, como aconteceu no caso de Datena.

"Eu morei numa pensão e vou dizer para você...você morava com o Hidalgo e estava muito bem acomodado. Ao contrário de você, passei fome e frio. Grande Datena, deitou o rolou no Paraná antes de virar essa estrela nacional", acrescentou.

Para completar o apresentador disse daria uma garrafa de vinho ao colega de emissora, mas foi interrompido. "Que mer** é essa que você falou? Não, não, não...que mer** é essa, cara? Cara***!", gritou o comandante do "Brasil Urgente".

De acordo com o "Notícias da TV", Milton Neves garantiu não ter acontecido nada de grave no estúdio. "O Datena é gente boa, não quero falar sobre isso", finalizou.

Fonte: http://entretenimento.br.msn.com/famosos/giro-famosidades

Santarém-Cuiabá e as bandeiras do bangue-bangue

É o início, agora no sudoeste paraense, do que aconteceu no sudeste: um faroeste, com direito a bangue-bangue, conflitos com índios, corrida de ouro e guerra por terras.

Faroeste, de novo
Por Ana Diniz, jornalista

Este mapa mostra a BR-163, a Santarém-Cuiabá. Os quadros maiores, circundados de branco, são ampliações dos quadrados vermelhos. O mapa, processado e divulgado pelo Greenpeace, é do monitoramento de queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Especiais – o INPE e é de agosto passado.                                                  

O incêndio que percorre a estrada, com pavimentação em fase de conclusão, assinala o furor da chegada de uma frente econômica – uma assim chamada frente de penetração nacional, que na verdade é apenas mais uma bandeira. Bandeira, de bandeirante, aquele antigo sistema colonial de “conquista do sertão”. É o início, agora do sudoeste paraense, do que aconteceu no sudeste: um faroeste, com direito a bangue-bangue, conflitos com índios, corrida de ouro e guerra por terras.

Há mais de uma década foi realizado um alentado relatório de impacto dessa estrada. Ela tem como característica principal estar num corredor ladeado por terras indígenas e reservas ambientais – tudo sob tutela do governo federal, naturalmente. E, como ela é uma estrada federal, também o meio desse corredor agora está sob controle da União. E, no entanto, das recomendações do alentado relatório não foi feito nada para impedir o que começa a acontecer com os incêndios que, segundo a monitoria, aumentaram em quase 300%.

Mal se respira em Novo Progresso, informa o jornal local. Na rede de estradinhas que se tece a partir do eixo da BR repete-se o ciclo: desmate, queima, pastagem e, agora, plantio em escala. O agronegócio avança, completamente descontrolado porque o poder regulador, o governo federal, não fez nada, nem para demarcar a caminhada, nem para coibir os excessos, nem para proteger o que está sob sua guarda: os tutelados diretos, os indígenas e a natureza, e as pessoas que integram essa bandeira ou que lá já residiam.

Teremos um novo faroeste, um novo episódio do tratamento que o Pará recebe da União: o de colônia a ser explorada, que, mais uma vez, vai pagar o preço de ser uma reserva rica a ser saqueada.


Extraído do blog do jornalista Manuel Dutra