sábado, agosto 27, 2016

Vice de Valmir pode ter pedido de impugnação protocolado

Por enquanto não foi dado entrada em nada, mas, a Justiça Eleitoral poderá ser protocolada no começo da semana.

No final da tarde de ontem eram muitos os comentários a respeito desse assunto.

A informação que circula é que Sueli Aguiar não teria se afastado da direção da TV Itaituba, da qual é diretora.

A coligação que tem como cabeça de chapa a prefeita Eliene Nunes seria a parte interessada na representação.

O blog entrou em contato com  um secretário muito próximo de Eliene, o qual disse que não tinha conhecimento do fato. Aventou ele a possibilidade de alguém poder entrar, mas, não precisou quem.

Por sua vez, Sueli disse que está tranquilo, considerando isso apenas especulação, pois segundo ela, isso não tem fundamento.

sexta-feira, agosto 26, 2016

Campanha com pouco dinheiro desafia a criatividade dos candidatos

Os gastos declarados pelos candidatos nas eleições de 2012, em Itaituba, se comparados com o que pode ser gasto nessa desse ano ficarão bem abaixo da realidade do mercado local.
Agora com o teto estipulado pela Justiça Eleitoral para a eleição de 2016, ficou praticamente impossível para os candidatos percorrer todo o interior do município. Mesmo que os têm condições própria estão engessados, pois os seus concorrentes vão estar atentos para que lei seja cumprida por todos. 
Os candidatos terão que adotar novas estratégias de gastos, e uma das medidas práticas que eles estão tomando pelo Brasil a fora é a substituição dos cabos eleitorais remunerados por militantes voluntários no trabalho de corpo a corpo com o eleitor.
As maiores aliadas dos candidatos para driblar a falta de recursos, ou a impossibilidade de mesmo os tendo, não poderem utilizar pelas restrições da legislação eleitoral nas campanhas serão as mídias sociais. Quem for mais criativo e souber aproveitar melhor essa ferramenta, pode amenizar o problema.
A limitação de recursos será ainda mais cruel com os candidatos menos conhecidos do eleitorado, pois com o tempo menor de exposição na televisão, esses terão que redobrar o esforço para conquistar votos, e convenhamos, num município com as dimensões de Itaituba é praticamente impossível o candidato levar a sua mensagem e suas propostas para todos as comunidades. Sendo assim que tiver bons candidatos a vereador por todo o município pode em tese levar vantagem nessa disputa.

Jornalista Weliton Lima – Comentário do Focalizando de quinta-feira, 25/08/2016

Agenda dos candidatos majoritários

Atenção coordenações de campanhas majoritárias

O blog do Jota Parente coloca à disposição dos candidatos a prefeito de Itaituba seu espaço jornalístico para divulgar, diariamente, as agendas de cada um. Por gentileza, enviem a agenda para o e-mail: jparentedesousa@gmail.com, ou mande pelo o WhatsApp para 98124 3977.

Ficamos no aguado


Jota Parente

quinta-feira, agosto 25, 2016

Ônibus da Quaresma Turismo sofreu acidente sem vítimas

O acidente ocorreu por volta das 05:30 desta quinta-feira (25), quando a equipe de plantão da Polícia Rodoviária Federal foi acionada via NIOP para atendimento a uma ocorrência no km 995 da BR 163, em frente à brasilkirin.

O fato envolveu um ônibus da Viação Quaresma Turismo. 

Conforme averiguação realizada no local do acidente, no município de Santarém, constatou-se que o ônibus da viação Quaresma, de Itaituba, que vinha para Itaituba com 20 passageiros, saiu da pista, adentrando na mata. 

Samu e Bombeiros estiveram no local para prestar socorro, mas não hauve nenhuma vítima.

Fonte: Grupo Repórter Policial (Via WhatsApp)

Juiz federal de Itaituba proíbe funcionamento de pousada na Terra Indígena Kayabi

Justiça proíbe funcionamento de pousada na Terra Indígena Kayabi
 A Justiça Federal em Itaituba (PA) proibiu o funcionamento da pousada Rio Cururu, da empresa M.Moser Pousada ME, que oferecia pacotes turísticos para pesca esportiva dentro da Terra Indígena Kayabi, na divisa dos Estados do Pará e Mato Grosso, entre os municípios de Apiacás e Jacareacanga. A decisão atende pedido do Ministério Público Federal (MPF), que acusa a empresa e seus proprietários, Margarete e Marcos Moser, de causar danos ambientais na área.

A pousada funcionava irregularmente e foi autuada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) em 2012. Durante a vistoria, o Ibama embargou a pousada e aplicou multa de R$ 1 milhão. O MPF se baseou no relatório de fiscalização para pedir o fechamento definitivo da pousada e a reparação por danos ambientais e também por danos morais coletivos. A fiscalização apreendeu barcos, motores de popa, geradores, freezers, motosserras, trator, caminhão e uma pá carregadeira.

De acordo com o instituto, ao abrir pista de pouso de 1200 metros sem autorização, a empresa causou danos ambientais visíveis. O juiz Paulo César Moy Anaisse, da Vara Federal de Itaituba, proibiu o funcionamento da pousada e determinou multa de R$ 50 mil em caso de desobediência, mas não concordou com o pedido do MPF de que a pousada promovesse recuperação de áreas degradadas na Terra Indígena, mas se provas de degradação forem apresentadas até o final do processo, os proprietários ainda poderão ser condenados a pagar pelos danos.

Ministério Público Federal no Pará
Assessoria de Comunicação

Vem aí, a partir de amanhã, o Horário Eleitoral

Resultado de imagem para foto de propaganda enganosa   Resultado de imagem para foto de propaganda no horário político?

Resultado de imagem
Do filme, O Político Honesto

MPF recomenda atendimento à saúde dos indígenas Apiaká em Itaituba (PA)

MPF recomenda atendimento à saúde dos indígenas Apiaká em Itaituba (PA)
 O Ministério Público Federal no Pará (MPF/PA) encaminhou recomendação ao Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) Tapajós para que a unidade do Ministério da Saúde preste atendimento à saúde dos indígenas da etnia Apiaká, de Itaituba, no sudoeste paraense.

Informações relatadas por lideranças da comunidade Pimental, que se autorreconhecem como índios da etnia Apiaká, denunciam o não atendimento de saúde pelo Dsei.
Para o MPF, a responsabilidade da promoção de saúde e saneamento básico, em caso da presença de populações indígenas, em áreas regularizadas ou não, é da Fundação Nacional de Saúde.

A recomendação esclarece que a promoção da saúde da comunidade indígena, através de iniciativas governamentais, deve se dar conforme estabelece a Constituição Federal de 1988.

“Considero que os direitos indígenas, incluídos nestes o atendimento à saúde pelo subsistema à saúde indígena, não pode ser recusado àqueles que, embora possuem consciência de sua identidade indígena e assim se afirmam, vivem em terras cujos procedimentos demarcatórios ainda não tenham sido concluídos ou sequer iniciados pelo órgão competente”, frisa o MPF no texto da recomendação.

A recomendação foi encaminhada ao Dsei nesta quarta-feira, 24 de agosto. Assim que receber oficialmente o documento, o Dsei terá dez dias para apresentar resposta ao MPF. Se a resposta não for apresentada ou for considerada insatisfatória, o MPF pode tomar providências que considerar necessárias, incluindo a judicialização do caso.

Ministério Público Federal no Pará
Assessoria de Comunicação

quarta-feira, agosto 24, 2016

Justiça Eleitoral manda recolher carro de som em Itaituba

O juiz Cleitoney Passos, titular da 34ª Zona eleitoral, mandou recolher um carro de som de uma das coligações majoritárias na manhã de hoje.

O motivo da apreensão foi por causa de desrespeito à legislação eleitoral.

O condutor do veículo, ao passar às proximidades do Fórum, não diminuiu o volume do carro de som, como determina a lei.

É fundamental que as coordenações das campanhas orientem os motoristas desses carros, a fim de que ele diminuam o volume do som quado estiveram passando em locais como o Fórum, órgãos públicos e hospitais.

É o mínimo que eles precisam saber.

Presidente Temer corta programa de ampliação de aeroportos regionais

O presidente interino Michel Temer cortou o programa de ampliação dos aeroportos regionais proposto no governo Dilma.

De 270, o número de aeroportos a serem alcançados caiu para 53.

O ministro Maurício Quintella disse que não não há necessidade de investir no número de aeroportos.

A parte

terça-feira, agosto 23, 2016

Dias difíceis à vista para advogados de Itaituba: Comarca pode ficar sem juízes, de novo

Por alguns meses os advogados que militam em Itaituba puderam realizar o seu trabalho com relativa tranquilidade, porque raramente ficou somente um juiz. Mas, dias difíceis parecem se aproximar.

O Dr. Alexandre Hiroshi Arakaki, titular da 2ª Vara Cível e Empresarial de Itaituba foi removido para Paragominas.

A Drª Bárbara Oliveira Moreira foi removida para Santarém.

Ficou apenas o Dr. Cleitoney Passos, que também pode ir embora a qualquer momento, uma vez que já pediu remoção, tendo elencando algumas comarcas para onde gostaria de ir.

Como a partir de hoje faltam somente quarenta dias para as eleições municipais, e ele é o titular da 34ª Zona Eleitoral, de Itaituba, o mais provável é que sua remoção aconteça somente após o pleito.

De qualquer forma, paira no ar a ameaça de a Comarca de Itaituba, mais uma vez, ficar sem um só juiz.

Isso não é ruim apenas para os advogados; trata-se de um problema que afeta toda a comunidade itaitubense.


Resta torcer para que o TJE não deixe isso acontecer.

Crise da Itacimpasa foi assunto na sessão de hoje

O vereador Luiz Fernando Sadeck dos Santos (Peninha), do PMDB, pronunciou-se na tribuna da Câmara, hoje, sobre a crise que vem assolando a Itacimpasa, o que já faz algum tempo.

Citando o antigo nome com o qual a empresa ficou conhecida em toda a região e até mais distante, Caima, o edil disse que os salários estão atrasados há pelo menos quatro meses, conforme confirmou em conversas com alguns funcionários que estão passando por muitas dificuldades.

Disse que, além da questão dos salários, existem débitos da empresa na praça de Itaituba, dos quais, muitos não tem sido pagos. E quando a empresa faz algum acerto é com cimento.

No entendimento do vereador, talvez seja por causa do aumento da oferta desse produto no mercado local que o preço caiu um pouco.  

Diniz também abordou o assunto
No horário da liderança do PMDB, o vereador Manoel Diniz também falou sobre a crise da Itacimpasa.

Lamentou a situação que a empresa vive, que é ruim para Itaituba, e enfatizou que infelizmente não é apenas aqui que o grupo empresarial dono da fábrica de cimento deste município atravessa dias de turbulência.

Iamax tem batido nessa tecla
O vereador Iamax Prado (PMN) tem tratado desse problema que envolve a Itacimpasa por algumas vezes. Tanto que Peninha, em sua fala fez essa observação.

O edil do PMN, até então não tinha conseguido despertado a atenção dos seus colegas, que finalmente atentaram para a gravidade do momento.


Hoje ele voltou a falar sobre essa crise.

Sefa aponta 371 empresas irregulares em Santarém

Foto: Reprodução/ TV Tapajós
 A Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) divulgou um levantamento que aponta 371 empresas que estão irregulares em Santarém, oeste do Pará. De acordo com o órgão, um recadastramento de atividades econômicas, que foi realizado pela primeira vez no município, aponta que muitos postos de combustíveis, transportadoras fluviais e rodoviárias estão com pendências na documentação, o que pode levar a suspensão dos registros.

De acordo com a Sefa, o processo de recadastramento começou a ser feito em Santarém em fevereiro deste ano. Muitos contribuintes foram notificados para apresentarem os documentos que comprovassem as atividades e o que ficou constatado é que muitas empresas estavam realizando atividades diferentes das cadastradas junto a Sefa.  ‘Quando cheguei aqui percebi que havia muitas transportadoras fluviais e rodoviárias que não apresentavam as mínimas condições de estar com uma inscrição. Confirmamos também que postos de gasolinas também não estavam com as condições previstas no regulamento da Sefa’, declara o coordenador da Sefa em Santarém, Nivaldo Brederode.
A partir de agora, aquelas que estão com pendências permanecem suspensas, o que impossibilita de realizar transações comerciais até se regularizarem. A medida tem o objetivo de evitar a sonegação de impostos, além de garantir qualidade no serviço ofertado aos usuários. ‘Os proprietários ficam suspensos, sem poder comprar nada em seu nome, vender ou prestar qualquer tipo de serviço. Estamos suspendendo hoje, mas na hora em que ele (proprietário da empresa) apresentar a documentação necessária, isto vai ser revisto e terá a licença para exercer a atividade normal’, ressalta. 
Ainda de acordo com o coordenador da Sefa, alguns procedimentos adotados pelas empresas também podem favorecer a sonegação de impostos. ‘Abre-se uma empresa com licença para atuar como um supermercado, transportadora rodoviária ou fluvial e só lá mais na frente o proprietário decide qual ele vai atuar. Começa como supermercado, dá certo e depois não tira a atividade econômica que não está sendo usada. Para se regularizar neste caso basta ele tirar. Em outros casos existem empresas de transportadora rodoviária que emprestam caminhão ou que simplesmente ficam vendendo os conhecimentos de transporte, havendo sonegação’, conclui Nivaldo Brederode.
Fontes: ORMNews e G1 Santarém

Juristas detonam baixaria de Veja contra Toffoli

:
247 – Pegou muito mal, no meio jurídico, a baixaria de Veja deste fim de semana, que coloca o ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, na capa apenas porque o empresário Léo Pinheiro, num de seus depoimentos, diz ter indicado a ele uma empresa de reformas – paga pelo próprio ministro, diga-se de passagem.
Segundo o portal Conjur, a reportagem reflete a batalha entre justiceiros e a verdadeira Justiça, tendo como propósito intimidar ministros das cortes superiores. Para o jornalista Luís Nassif, foi apenas uma vingança torpe do Ministério Público contra Toffoli (leia mais aqui).
Leia, abaixo, o texto do Conjur:
Reportagem da Veja sobre Toffoli reflete briga entre justiceiros e Justiça
Por Márcio Chaer, Pedro Canário e Marcelo Galli, no Conjur
A revista Veja que acaba de chegar às bancas traz mais um capítulo na luta entre os justiceiros e a Justiça no Brasil. O alvo da vez está na capa e é o ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal.
Recentemente, ele tem adotado posições que desagradam os que contrariaram a noção estabelecida de que o papel do juiz hoje é condenar e não julgar. Nada irrita mais os poderosos procuradores do Ministério Público Federal do que a concessão de um Habeas Corpus. Um deles publicou na Folha de S.Paulo uma reprimenda a Toffoli por esse motivo.
A rigor, a reportagem publicada esta semana não faz imputação alguma ao ministro. O enunciado da capa (Empreiteira delata ministro do Supremo) fica na promessa. Não se apresenta favorecimento da empreiteira ao ministro nem contrapartida. Apenas ilações.
Mas a reportagem traz indicações importantes: o Ministério Público tem direcionado delações para comprometer ministros do Supremo e do Superior Tribunal de Justiça. Essa queda de braço não é nova. Mas a desenvoltura dos atacantes é cada vez maior. 
As “suspeitas” contra ministros são lançadas regularmente na imprensa. Dias atrás uma notinha no jornal O Globo sacudiu o meio jurídico: um dos advogados mais importantes e respeitados do país, flagrado em delito, teria procurado o MPF para fazer delação premiada disposto a informar atos de corrupção de ministros do STJ e do STF. Se a informação falsa intimidou as duas casas não se sabe. Mas o objetivo era esse.
Outra reportagem pautada pelo MPF que tem voltado à baila é a que revela que ministros têm parentes. E que esses parentes trabalham em empresas ou escritórios de advocacia. E que a ligação de parentesco “pode” facilitar eventual tráfico de influência. Exemplos concretos: nenhum. Resultado concreto: as cortes resistem cada vez mais a pedidos da defesa e cada vez menos ao que quer a acusação.
A contenda promete. A peleja vai longe. Aguarda-se acusações, suspeitas, ilações a granel contra quem puder ameaçar o poder da acusação com Habeas Corpus considerados inconvenientes.
Críticas
Para o ministro Gilmar Mendes, do STF, toda acusação deve ser investigada e todo homem público deve satisfação à sociedade, “mas a acusação deve ser legítima, jamais anônima e muito menos com objetivos espúrios”. A reportagem da Veja, como a própria revista admite, diz Mendes, “serve apenas para constranger o ministro”. Presidente o Tribunal Superior Eleitoral, ele diz ser importante uma lei que coíba o abuso de autoridade
O ex-advogado-geral da União Luís Inácio Adams é de opinião semelhante. Para ele, a revista só “especula sobre uma promessa de delação que refere a fatos que não têm qualquer remota relação com algum crime ou conduta reprovável”. “É lamentável a superficialidade da especulação feita.”
Aposentado do STF, o ministro Nelson Jobim classificou de “ridícula” a reportagem da Veja. Segundo ele, a publicação foi “irresponsável” por ter transformado um texto que não diz nada em capa para constranger o ministro Toffoli. A reportagem traz algumas perguntas a seus leitores. Jobim tem as dele: “Quem vazou aquelas informações? O Ministério Público ou a Polícia Federal? Qual é o interesse das pessoas que estão fazendo isso?”
“Há avanço em se cometer imoralidades a pretexto de combater imoralidades?”, questiona o ministro Luis Felipe Salomão, do STJ.  Para o representante do STJ, a violenta pressão contra a cúpula do Judiciário atrapalha a aplicação da justiça. “Hoje os juízes estão decidindo com medo, sob absoluta pressão. Onde isso ocorreu, sempre resultou em ditadura.” 
A mesma preocupação tem o advogado Pierpaolo Bottini, professor de Direito Penal da USP. “Caminhamos a passos largos para o arbítrio disfarçado de salvador da pátria. Não é a primeira vez que isso acontece na história do país", comenta.
“Há uma tendência em se jogar suspeita sistemática sobre o magistrado quando ele decide a favor do réu. Cria-se um clima em que a decisão mais fácil é condenar, punir, ainda que não haja certeza sobre os fatos”, afirma o advogado. “Aquele que absolve sempre é olhado de esgueio, como se tivesse praticado um ilícito. Inverte-se a ordem constitucional, a presunção de inocência. O juiz garantista é demonizado, como se fosse um agente criminoso, quando tudo o que faz é cumprir seu juramento perante a Constituição.”
Outro ministro do STF, que prefere não se identificar, aponta “o nefando fenômeno que vivemos hoje: o da criminalização das relações políticas, sociais, pessoais e até familiares”. Esse ministro referenda, “as tentativas de intimidação de ministros do Supremo e de juízes têm crescido, de forma preocupante, nos últimos tempos”.
Ex-presidente do Supremo e já aposentado, o ministro Sepúlveda Pertence é mais um dos que observa com incômodo o comportamento dos investigadores da vez. Em entrevista à ConJur publicada em julho deste ano, ele declarou: “Houve a criação de uma mística em que uma crítica, por mais pontual que seja, por mais consequente que seja, ao ‘juízo de Curitiba’ tornou-se um pecado mortal. Ou uma conspiração”.
Ao passado 
A força-tarefa da “lava jato” também tem levado às mesas de negociações com delatores investigações antigas. O caso mais candente é o da operação castelo de areia, que investigou um esquema de corrupção em obras tocadas pela Camargo Corrêa, mas acabou trancada por ilegalidade na forma com que foram colhidas as provas – os investigadores partiram de uma denúncia anônima para grampos telefônicos generalizados, tudo com anuência da Justiça Federal.
Em abril de 2011, a 6ª Turma do STJ trancou as investigações e todas as ações penais que decorreram daquelas provas. Em outras palavras, disse que não se podem cometer ilegalidades para investigar ilegalidades.
Hoje os investigadores citam o assunto nas negociações com os executivos da Camargo Corrêa. Querem descobrir, na empreiteira, um setor de pagamento de propinas e caixa 2 semelhante ao que anunciam ter achado na Odebrecht. E querem punir os controladores da empresa, notadamente os herdeiros de Sebastião Camargo, fundador da empresa ao lado de Sylvio Brand Corrêa.
Trata-se de mais uma estratégia de intimidação aos ministros do STJ. A maioria das abordagens aos delatores tem sido discreta, mas alguns perguntam com todas as letras quem foram os ministros que receberam dinheiro para decidir daquele jeito, já que para os investigadores é inconcebível que a Justiça tenha julgado, e não punido, os acusados.
Dado digno de nota é que o único ministro dos que condenaram a castelo de areia que continua no tribunal é a ministra Maria Thereza de Assis Moura. Hoje, é considerada uma juíza de perfil duro, resistente aos pedidos da defesa.

Gilmar critica Lava Jato e aponta “delírios totalitários" no MP

:
  247 – O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal reagiu duramente à capa de Veja desta semana, que colocou seu colega Dias Toffoli na capa sem que contra ele pese qualquer acusação consistente.

Em entrevista à jornalista Mônica Bergamo, afirmou que os magistrados podem estar diante de "algo mórbido que merece a mais veemente resposta".

Na fala, ele fez duras críticas à força-tarefa da Lava Jato. "Eles estão defendendo até a validação de provas obtidas de forma ilícita, desde que de boa-fé. O que isso significa? Que pode haver tortura feita de boa-fé para obter confissão? E que ela deve ser validada?", questionou.

Essa tese de validação das provas obtidas de forma ilícita foi defendida pelo juiz Sergio Moro.

Gilmar também acusou o Ministério Público de "delírios totalitários" e práticas "absolutistas". "Já estamos nos avizinhando do terreno perigoso de delírios totalitários. Me parece que [os procuradores da Lava Jato] estão possuídos de um tipo de teoria absolutista de combate ao crime a qualquer preço".

O ministro também disse que Toffoli pode ter sido alvo do Ministério Público por contrariar interesses. "Não é de se excluir que isso esteja num contexto em que os próprios investigadores tentam induzir os delatores a darem a resposta desejada ou almejada contra pessoas que, no entendimento deles, estejam contrariando seus interesses".

Quando Toffoli decidiu soltar o ex-minstro Paulo Bernardo, foi alvo de procuradores, que, em artigo, o acusaram de dar "um duplo twist carpado".

Diante da polêmica, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, suspendeu a delação premiada da OAS.

Eder Mauro x Lúcio Flávio Pinto e a imprensa livre

Resultado de imagem para foto do deputado eder mauro
Deputado Eder Mauro
Resultado de imagem para foto de lúcio flávio pinto
Jornalista Lúcio Flávio Pinto
A juíza Eliane dos Santos Figueiredo, da 77ª Zona Eleitoral de Belém, integrante da Comissão de Propaganda Eleitoral, negou o pedido de antecipação de tutela feito pelo deputado federal Eder Mauro e seu partido, o PSD, contra o jornalista Lúcio Flávio Pinto e seu Jornal Pessoal. Ele queria a imediata apreensão de todos os exemplares da edição n.º 608 do JP com a matéria intitulada “O herói e o bandido”,  além da proibição de novas matérias sobre si, sob pena de multa diária de R$50 mil a Lúcio e ao JP.  O processo - acreditem! - versa sobre propaganda eleitoral negativa e extemporânea(!).

Eder Mauro alega que Lúcio extrapola os limites informativos em clara intenção de desmoralizá-lo e colocá-lo  em xeque perante a opinião pública. Aduz que divulga fato sabidamente inverídico quando afirma que responde a ações propostas pelo MP pedindo sua inelegibilidade por oito anos;  por doação acima do limite legal; e que o principal doador da sua campanha em 2014 foi a Odebretch. Afirma ainda que há na matéria claro objetivo eleitoreiro de negativar sua imagem enquanto candidato à Prefeitura de Belém.  

A juíza Eliane Figueiredo assim despachou: "Observa-se que a questão controvertida da presente representação reside na alegação de prática pelos representados de propaganda eleitoral extemporânea na modalidade negativa na medida em que o propósito da matéria seria mostrar que o pré-candidato Éder Mauro Cardoso Barra não tem condições de ser eleito e que sua eleição representaria um risco para a população. 

A análise da matéria identificada como propaganda extemporânea na modalidade negativa não revela o claro propósito eleitoral afirmado na inicial da Representação, em que pese o conteúdo político da matéria. O primeiro Representado é jornalista e expõe na matéria intitulada “O héroi e o bandido” sua crítica à segurança pública no Estado do Pará atribuindo a expressiva votação que o pré-candidato Éder Mauro Cardoso Barra teve nas eleições para deputado federal à sua condição de delegado de polícia. Se a matéria extrapola ou não os limites da informação, se faltou com a verdade ou mesmo se por seus termos feriu a honra das pessoas nela mencionadas não cabe a este Juízo eleitoral tal verificação (…) 

O que resta evidente na matéria impugnada é a manifestação política do autor da matéria, conduta expressamente ressalvada pelo inciso V do citado artigo 36-A, segundo o qual, não configura propaganda eleitoral antecipada a divulgação de posicionamento sobre questões políticas, inclusive nas redes sociais. Convém salientar, que o primeiro Representado é jornalista e enquanto tal não está proibido por lei de realizar crítica política, está impedido sim, por imposição legal, de pedir voto antes do período de propaganda."


Parece óbvio que o deputado candidato Éder Mauro cometeu dois equívocos de uma só tacada: enquadrar jornalista em propaganda eleitoral negativa antecipada e requerer a censura, prática odiosa repudiada em qualquer Democracia no mundo inteiro.

Fonte: blog da Franssinete Florenzano

segunda-feira, agosto 22, 2016

Affair de Bolt era esposa de chefe do tráfico

Affair de Bolt era esposa de chefe do tráfico (Foto: Reprodução/Instagram)
 Jady Duarte viu seu nome chegar aos quatro cantos do país após ter fotos suas vazadas na maior intimidade com Usain Bolt. A carioca, de 20 anos, no entanto, já havia sido notícia. Mas policial. Jady foi casada e é mãe de dois filhos de Douglas Donato Pereira, o Diná Terror, ex-chefe do tráfico no Morro Faz Quem Quer. Ele foi morto em março deste ano.

Diná era acusado da morte da jovem Rayssa Christine Machado de Carvalho Sarpi, de 18 anos. Ela foi filmada enquanto era torturada por traficantes do Faz Quem Quer, em setembro de 2014. O vídeo circulou em redes sociais. O criminoso também era procurado pelo homicídio de Raianne Dantas de Jesus, de 19 anos. Ela foi morta na Rua Tucupi, em Rocha Miranda, com mais de vinte tiros. Segundo as investigações, a jovem foi alvo de vingança de traficantes do Faz Quem Quer depois que seu namorado abandonou a comunidade levando armas e drogas para o Complexo da Maré, também na Zona Norte.

Jady tem dois perfis no Facebook. Num deles, ela aperece bem diferente da morena que levou o medalhista Bolt a nocaute. Quando Diná foi morto, Jady fez várias postagens lamentando sua ausência e recebendo o apoio dos amigos. (JB)

domingo, agosto 21, 2016

Palestrante Salomão Ribeiro lançou seu mais novo livro, Estratégias do Super Vendedor

            O palestrante Salomão Ribeiro lançou hoje o livro Estratégias do Super Vendedor, sua segunda obra dedicada à motivação para homens de negócios, colaboradores e o público em geral que gosta de uma boa leitura.
            A noite de autógrafos aconteceu no restaurante Divino Sabor e foi muito concorrida, pois um público numeroso esteve presente, com as pessoas fazendo fila para aguardar a vez de ter seu exemplar autografado.
            Em conversa com a reportagem do blog do Jota Parente, Salomão disse que a partir do lançamento em Itaituba, ele fará lançamento do livro nos demais municípios da região sudoeste do Pará, transamazônica, Santarém e Belém.

            As lentes do Jornal do Comércio e do blog registraram a noite de autógrafos.